quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Banco da Fé - 15 de Agosto, por Charles Haddon Spurgeon


Uma Garantia do Nome



E tudo quanto pedirdes em meu nome, isso farei, a fim de que o Pai seja glorificado no Filho. - João 14:13

Não é todo crente que já aprendeu a orar em nome de Cristo. Pedir não somente pelo Seu amor, mas em Seu nome, como autorizado por Ele, é uma alta ordem de oração. Nós não ousaríamos pedir algumas coisas neste bendito nome, pois elas seriam uma miserável profanação deste nome; mas quando a petição é tão claramente correta que ousaríamos invocar o nome de Jesus nisto, então ela deve ser concedida.

A oração é ainda com mais certeza sucedida porque é para a glória do Pai através do Filho. Ela glorifica Sua verdade, Sua fidelidade, Seu poder, Sua graça. A concessão da oração, quando oferecida em nome de Jesus, revela o amor do Pai ao Filho, e a honra que o Pai imputou sobre o Filho. A glória de Jesus e do Pai estão tão enroladas uma com a outra que a graça que magnifíca a Um magnifíca a Outro. O canal é feito famoso pela plenitude da fonte, e a fonte é honrada através do canal pela qual ela flui. Se a resposta a nossas orações desonrassem nosso Senhor, nós não oraríamos; mas como na oração Ele é glorificado, oraremos sem cessar neste querido nome no qual Deus e Seu povo tem uma relação de deleite.

fonte: The Spurgeon Archives - Spurgeon Daily
tradução: Jonathan Arthur Morandi

Nenhum comentário:

Postar um comentário