quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Confiando na Graça de Deus




A ironia da teologia do sofrimento metirório é que ela tende a produzir o efeito contrário ao da intenção original. O que começa como um chamado à humilhação e sofrimento de boa vontade, se torna uma traiçoeira ferramenta de retidão-própria. Possivelmente a tarefa mais difícil para nós realizarmos é confiar na graça de Deus e na graça de Deus somente para nossa salvação. É difícil descansarmos na graça por causa do nosso orgulho. Graça é para outras pessoas - para mendigos. Nós não queremos viver segundo um sistema de felicidade celestial. Queremos conquistar nosso próprio caminho e expiar nossos próprios pecados. Gostamos de pensar que vamos ao céu porque merecemos estar lá.

Todo sofrimento que posso suportar não pode conquistar para mim um único lugar no céu. Nem posso eu merecer o mérito de Cristo através do sofrimento. Eu sou um servo completamente inútil que precisa confiar no mérito de outro alguém para ser salvo.

Com Paulo podemos nos regozijar em nossos sofrimentos se isso realçar a glória de Cristo. Podemos nos regozijar em nossas perseguições e olhar para a benção prometida, Cristo. Mas o bentido Cristo prometido, a benção de grande recompensa, é uma recompensa de graça. A benção é prometida, mesmo não sendo merecida.

Augustinho falou sobre isso: "Nossas recompensas no céu são um resultado de Deus coroando seus próprios dons. Sola gratia."

Coram Deo

Agradeça a Deus por suas recompensas celestiais, que são o resultado de Deus coroando seus próprios dons.

Passagens para Estudo Adicional:

Romanos 8:18
2ª Coríntios 4:16-18

Fonte: Ligonier Ministries
Tradução: Jonathan Arthur Morandi

Nenhum comentário:

Postar um comentário