sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Por que Jesus Cristo veio à Terra? - B.B. Warfield


Fiel é a palavra e digna de toda aceitação: que Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores, dos quais eu sou o principal.  (1ª Timóteo 1:15)




Cristo Jesus veio para salvar pecadores.

Não veio, então, meramente preparar salvação para eles; abrir para eles um caminho para a salvação; remover os obstáculos no caminho da salvação deles; introduzí-los a condições de vida em que uma vida limpa torne-se possível pela primeira vez; dar motivos para uma ação santa; quebrar nossa inimizade para com Deus através de uma exibição de seu amor; manifestar a nós o que o pecado é para Deus, e como ele nos visitará com o seu desprazer. Todas estas coisas ele sem dúvida alguma fez. Mas todas estas coisas, juntas, formam o conjunto de seu trabalho para o homem. Em nenhuma interpretação da natureza ou alcance do seu trabalho pode ser dito que Cristo Jesus veio para fazer estas coisas. Temos que ir mais fundo, e dizer com a Igreja primitiva, nesta fiel declaração comandada a nós pelo apóstolo, que Cristo Jesus veio para salvar pecadores.

Temos que tomar esta grande declaração na altura e profundidade de seu tremendo significado. Jesus fez tudo o que está incluído na grande palavra 'salvar'. Ele não veio para nos induzir a salvarmos a nós mesmos, nem para nos ajudar a nos salvarmos, nem para permitir que nos salvemos. E é por isso que ele é chamado pelo nome Jesus - porque ele deveria salvar seu povo de seus pecados. A glória de nosso Senhor, além de todas as outras coisas que o glorificam, é que ele é nosso completo Salvador; nosso Salvador ao extremo. Nosso conhecimento, ainda que seja um dom dele para nós como nosso Profeta, não é nosso salvador, seja este conhecimento tão amplo, profundo e alto como pode ser. A Igreja, mesmo sendo seu presente para nós como nosso Rei, não é nossa salvadora, seja ela tão santa e verdadeira como deve ser, a noiva do Cordeiro. A sociedade reorganizada em que ele nos colocou, mesmo sendo o produto de seu santo domínio sobre a Terra redimida, não é nossa salvadora, seja ela a própria nova Jerusalem, vestida em sua beleza e descendida  dos céus.

Cortemos ainda mais profundamente. Nossa própria fé, ainda que seja o vínculo de nossa união com Cristo, através da qual recebemos todas as suas bençãos, não é nossa salvadora. Nós temos apenas um Salvador; e este é Jesus Cristo, nosso Senhor. Nada que nós somos e nada que possamos fazer entra na menor medida no terreno de nossa aceitação para com Deus. Jesus fez tudo. E fazendo tudo, ele se tornou, no mais completo, amplo e profundo sentido que a palavra possa carregar - nosso Salvador. Para este fim ele veio ao mundo - salvar pecadores; e nada menos que a verdadeira e completa salvação de pecadores irá satisfazer a conta de seu trabalho dada por seus próprios lábios e repetida por eles por todos os seus apóstolos.

É com certeza neste grande fato que está toda a essência do evangelho. Não podemos nunca esquecer que o evangelho não se trata de bons conselhos, mas de boas novas. O evangelho não nos ensina o que devemos fazer para ganharmos a salvação por nós mesmos, mas proclama o que Jesus fez por nós. É a salvação, uma completa salvação, que é anunciada a nós; e o refrão desta mensagem são apenas as palavras do nosso texto - que Cristo Jesus veio ao mundo para salvar pecadores.

Fonte: The Power of God Unto Salvation, pp. 47-50.
Via: Reformed Bibliophile

Nenhum comentário:

Postar um comentário